Perda Auditiva

Uma audição saudável é muito importante no nosso dia a dia. A maioria das pessoas com audição normal sequer se dá conta sobre o que significa ser capaz de ouvir bem. Conversar com as pessoas, apreciar suas músicas favoritas, ouvir os sons da natureza e os sinais de alerta, tudo isso é muito natural.

Nossa audição tem um papel fundamental na maneira como nos relacionamos com as situações ao nosso redor. Ela nos ajuda a ter uma série de experiências sensoriais e facilita muito os relacionamentos. Mas também é extremamente sensível e bastante complexa.

Dados do IBGE mostram que mais de 10 milhões de pessoas têm algum grau de perda auditiva no Brasil, ou seja, 5% da população. Entre essas pessoas, 2,7 milhões apresentam uma perda auditiva profunda. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a estimativa é que 900 milhões de pessoas no mundo podem desenvolver perda auditiva até 2050.

 

Mas afinal, o que é a perda auditiva?

 

A perda auditiva é a redução da capacidade de ouvir.  Ela representa a diferença entre o desempenho do indivíduo e a habilidade considerada normal para a identificação dos sons. Desta forma, a audição normal corresponde à capacidade para percepção de sons até 25 dB N.A (decibéis, nível de audição).

As alterações auditivas podem ser de diferentes tipos e graus e provocadas por diversos fatores, mas como saber se tenho alguma alteração auditiva?

Na maioria das vezes, a perda da audição se desenvolve lentamente ao longo dos anos. Os efeitos se manifestam de forma gradual, o que dificulta o reconhecimento da perda auditiva por aqueles que sofrem seus efeitos. Parentes, amigos ou colegas normalmente são os primeiros a perceber que há algo de errado.

As dificuldades na comunicação são um dos principais sinais de alerta para perda auditiva e costumam iniciar com o não entendimento da fala. Na maioria das vezes, a pessoa ouve, mas não compreende as palavras. É comum pedir para repetir o que disseram diversas vezes em uma conversa.

Dificuldade para conversar em lugares ruidosos

Festas, restaurantes e shoppings podem ser bastante desafiadores para manter um diálogo com alguém. Os sons de fundo atrapalham muito as pessoas com perda auditiva e reduzem a compreensão da fala. Normalmente a pessoa demonstra não entender o que as outras dizem, pedindo para repetir a informação com muita frequência ou se isolando, evitando este tipo de local, inclusive.

 

Dificuldade para ouvir aparelhos eletrônicos

O volume do celular, televisão e do rádio são alertas importantes de que a audição pode estar com problemas. A pessoa começa a ter dificuldade para escutar estes equipamentos e, aos poucos, passa a aumentar o volume deles. Quando os programas de TV, vídeos recebidos no Whatsapp ou as músicas do rádio são acompanhados por ruídos ao fundo, o entendimento do que está sendo dito se torna ainda mais difícil.

 

Leitura labial

Algumas pessoas compreendem o que é dito apenas quando falam de frente para ela, assim há a possibilidade de usar a leitura labial como recurso para ajudar no entendimento. Também é comum a dificuldade de entender sons mais agudos, como vozes femininas ou de crianças, principalmente ao telefone ou na televisão.

 

Sensação de zumbido

O zumbido se apresenta como a percepção de um som que não é produzido por nenhum estímulo sonoro externo, como um chiado, motor ou zunido de abelha. Podem ser contínuos ou inconstantes, causando estresse, desconforto e até dificuldade em iniciar uma noite de sono. Apesar do zumbido não ser a causa da perda auditiva, pode ser um sintoma de alteração.

 

Intolerância a sons intensos

Muito frequente em indivíduos com perda auditiva, a hipersensibilidade aos sons se manifesta quando a pessoa se queixa do volume alto da televisão quando está em uma intensidade bem tolerada por quem tem audição normal, por exemplo. Por essa razão, gritar ou falar muito alto com quem tem perda auditiva não contribui para o melhor entendimento, causando até mais desconforto e estresse.

 

Isolamento social

À medida que a dificuldade em escutar vai ficando maior, a pessoa começa a evitar as situações que evidenciam esse problema, levando ao isolamento social. Essa diminuição do contato com as pessoas queridas provoca um grande impacto na vida da pessoa, podendo causar até depressão.

 

Importância do diagnóstico adequado

Grande parte das pessoas com problemas auditivos não percebem o problema ou não tomam a iniciativa de procurar a ajuda de um profissional especializado. Ao perceber os primeiros sinais, é fundamental consultar um médico otorrinolaringologista para avaliação, diagnóstico e indicação de conduta. Quanto maior o tempo entre a percepção dos sintomas e o tratamento adequado, maiores são os danos a sua qualidade de vida.

Hoje já existem alternativas para a maior parte dos problemas com a audição e os aparelhos auditivos de alta performance podem ser grandes aliados. Com o acompanhamento de profissionais capacitados, apoio da família e uso diário dos aparelhos, é possível recuperar a qualidade de vida e o prazer de ouvir com naturalidade.